Denúncia: mais uma morte supostamente por meningite.

De acordo com denúncia, transferência do paciente em estado grave aconteceu cerca de três horas após a solicitação médica por intermédio da Secretaria de Saúde do município de São Gonçalo.

 

De acordo com denúncia publicada em nossa página, na segunda-feira, 29/05, um morador de Itaipuaçu deu entrada na UPA de Inoã com suspeita de meningite e lá ficou internado. Na terça-feira, 30/05, o caso se agravou e o paciente precisou ser entubado. Embora a esposa tentasse desesperadamente transferir seu marido para outra unidade de Saúde, juntamente com o médico que assumiu o plantão noturno, que solicitou transferência em caráter de urgência visto que o paciente corria risco de morte, os canais municipais da Saúde não foram ativos: a transferência do mesmo para o hospital Alberto Torres só foi concretizada três horas depois da solicitação do médico de plantão.

 

Ainda de acordo com a denúncia, a transferência só foi possível graças à intervenção da Secretaria de Saúde de São Gonçalo: a Secretaria de Saúde não prestou nenhum apoio ou auxílio à família ou ao paciente.

Infelizmente, o paciente veio a óbito nessa quinta-feira, 01/06, sendo, caso confirme-se a meningite, o terceiro caso atendido dentro do município de Maricá e o segundo óbito nas últimas duas semanas.

A Secretaria de Saúde de Maricá ainda não se pronunciou sobre esse caso, sobre o caso do  menor em Itaipuaçu ou sobre o caso da menor moradora de Inoã que veio à tona com a divulgação do relatório do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Estado.

Ainda não temos dados sobre os casos de moradores de Maricá que foram atendidos fora do município.

Não deixe de reler a entrevista com o Dr. em Imunologia Luiz Ricardo Berbert sobre meningite, seus sintomas, prevenção e quimioprofilaxia.

 

-Publicidade-

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário.
Por favor digite seu nome aqui